Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança Últimas notícias
Escultura funerária no cemitério do Poblenou, em Barcelona, Catalunha

Cemitérios singulares da Espanha: a arte além da vida

none

Na Espanha há mais de vinte cemitérios históricos e singulares que estão incluídos no Roteiro Europeu de Cemitérios. Neste itinerário cultural do Conselho da Europa, além das tumbas de muitos personagens famosos, aparecem esculturas e monumentos funerários peculiares, bonitos e surpreendentes. Um circuito de arte diferente, para os mais atrevidos. Estes são os cemitérios por onde passa o roteiro:

  • Vista do cemitério municipal de San Froilán, em Lugo, Galícia

    Galícia, simbologia celta com vista para o mar

    Nesta região do norte da Espanha estão situados dois cemitérios singulares. O primeiro é o de San Amaro, em A Corunha, de frente para o oceano Atlântico. Foi inaugurado em 1813 e se divide em três áreas: a religiosa, a civil e a britânica (adquirida em 1867 pelo cônsul britânico na Galícia para enterrar os cidadãos britânicos que faleciam em terras galegas). Em seu percurso você verá muita simbologia celta e belos exemplos de neoclassicismo, além de dois monumentos coletivos e das tumbas de mais de 200 personagens ilustres. Uma curiosidade: aqui descansa a irmã menor de Pablo Picasso. O outro cemitério é o de San Froilán, em Lugo, muito perto do roteiro do Caminho de Santiago. Entre suas sepulturas, panteões e estátuas de diferentes estilos, pode ser encontrado o monumento erigido em memória dos soldados repatriados da guerra de Cuba de 1898.

  • Vista do cemitério municipal de La Carriona, em Avilés, Astúrias

    A riqueza dos “indianos” em Astúrias

    Na cidade de Avilés está situado o cemitério municipal de La Carriona, inaugurado em 1890. É quase um museu ao ar livre, e conta até com um Centro de Interpretação onde são organizadas visitas guiadas para conhecer seu valor artístico. Isso é porque a prosperidade e a fortuna dos indianos (os emigrantes espanhóis que retornaram da América) estão refletidas na riqueza de suas sepulturas e monumentos escultóricos, repletos de símbolos, alegorias e inspirações medievais. 

  • Vista panorâmica do cemitério de Ciriego, em Santander, Cantábria

    Cantábria, a tumba da legendária Carmen Amaya

    A construção do cemitério de Ciriego de Santander contou com a participação de muitos dos melhores arquitetos e escultores da região. Também de frente para o mar, este bonito cemitério foi inaugurado em 1893 e é um bom exemplo das tendências da arte funerária do final do século XIX. Existem diferentes percursos que permitem conhecer suas esculturas e obras funerárias mais significativas, ou as personalidades ilustres que estão enterradas nele como, por exemplo, a famosa artista Carmen Amaya, cujos restos repousam no panteão Agüero, pertencente à família de seu marido. 

  • Galeria do cemitério Vista Alegre em Bilbau, Biscaia, País Basco

    Panteões com muita história no País Basco

    A monumental entrada do cemitério municipal de Bilbau, situado entre Derio e Zamudio, já adianta o que você vai ver em seu interior: um dos principais conjuntos de arte funerária da Espanha, com cerca de 90 panteões e capelas de estilo modernista ou neogótico, e que conta com esculturas e peças arquitetônicas espetaculares. Em Donostia-San Sebastián também é preciso visitar outro cemitério histórico: o de Polloe. Inaugurado em 1878, é o cemitério principal dos três que existem na cidade. Sua estrutura foi feita com base no conceito hierárquico burguês típico do século XIX, de modo que as sepulturas das famílias mais ricas e distintas eram situadas perto da entrada. Além de grandes panteões de estilo clássico realizados por diferentes artistas, também podem ser vistas as tumbas de personagens ilustres como o pintor Ignacio Zuloaga ou a política Clara Campoamor, entre outros. 

  • Vista aérea do cemitério de Nuestra Señora de la Almudena, em Madri, Comunidade de Madri

    O cemitério de La Almudena de Madri

    Criado em 1884, o cemitério de La Almudena de Madri é um dos maiores da Europa, com 120 hectares de extensão e cerca de 5 milhões de sepulturas. Conta com vários recintos, incluindo um cemitério hebreu. Seus numerosos panteões, capelas e monumentos funerários oferecem mostras artísticas de estilos muito diferentes: neogótico, neoclássico, neorromântico... Aqui estão enterrados muitos políticos e personagens destacados da cultura e sociedade espanholas como, por exemplo, Lola Flores, Benito Pérez Galdós ou Santiago Ramón y Cajal, entre outros. Além disso, existem várias empresas turísticas que organizam roteiros e visitas para conhecê-lo. 

  • Conjuntos funerários no cemitério de Montjuïc, em Barcelona, Catalunha

    Os cemitérios modernistas da Catalunha

    A Catalunha é a região com mais cemitérios incluídos neste singular roteiro europeu. No total são dez, onde se destaca principalmente o estilo modernista. Muitos deles oferecem visitas guiadas para conhecer seu patrimônio cultural. Dois ficam na cidade de Barcelona: são o cemitério de Poble Nou e o de Montjuïc. No primeiro há muitos mausoléus e esculturas de grande qualidade artística, mas uma das tumbas mais visitadas é o nicho do chamado “santet del Poblenou”, um jovem falecido em 1899 que, de acordo com a lenda popular, concede desejos. No segundo também há grandiosos mausoléus e a maior coleção de carruagens fúnebres da Europa, além das tumbas de artistas famosos como Joan Miró e Isaac Albéniz. E a menos de uma hora de carro de Barcelona você pode visitar outros cemitérios modernistas e singulares, como o de San Sebastián deSitges, o de Arenys de Mar, o de Vilafranca del Penedés, o de Igualada, o de Terrassa e o dos Capuchinos deMataró. Também na província de Girona se destaca o cemitério modernista deLloret de Mar, e na província de Tarragona o de Reus, que foi o primeiro cemitério laico do país, inaugurado em 1870, e em cuja entrada fica uma estátua do deus Cronos.    

  • Vista do panteão da Família Llovera no cemitério Geral de Valência, Comunidade Valenciana

    Passeios pela “cidade dos mortos” na Comunidade Valenciana

    Entre os diferentes estilos dos numerosos panteões e mausoléus do Cemitério Geral deValência há um que chama particularmente a atenção: é a pirâmide da Família Llovera, a única construção de formas neo-egípcias deste lugar. Também o Pátio dos Pórticos ou das Colunas, formado por 170 colunas dóricas construídas em 1880. Para conhecer a história e seu patrimônio funerário foi criado o projeto Museu do Silêncio, com quatro itinerários. O cemitério de San Antonio Abad, emAlcoy, também merece uma visita. Suas galerias subterrâneas são um exemplo único na Espanha, e além do cemitério civil, conta com um recinto para militares e outro para religiosos. O roteiro “Alcoy, a cidade adormecida” revela sua riqueza artística e suas curiosidades.

  • Detalhe de escultura no cemitério de San José, na cidade de Granada, Andaluzia

    Andaluzia: cemitérios com muitas surpresas

    Na Andaluzia se destacam quatro cemitérios surpreendentes. Em Córdoba fica o cemitério de Nuestra Señora de la Salud, construído em 1811 junto à ermida de mesmo nome que, um anos depois, foi incorporada ao recinto, convertendo-se na bonita fachada neoclássica atual. Nele descansam famosos toureiros como, por exemplo, Manolete. A uns 65 quilômetros fica o cemitério de Monturque, o único da Espanha que tem uma zona arqueológica em seu interior declarada Bem de Interesse Cultural: trata-se de cisternas romanas que ficaram ocultas em seu subsolo durante mais de mil anos e que hoje em dia é possível visitar. Em Granada, o cemitério municipal de San José faz parte dos arredores monumentais da Alhambra, muito próximo à entrada dos Palácios Nasridas. Com destacados exemplos de arquitetura e esculturas funerárias românticas, conserva no pátio de San Cristóbal os restos arqueológicos do palácio árabe de Alixares, que datam do século XIII-XIV. Existem visitas guiadas diurnas, e no verão e na véspera do Dia de Todos os Santos também são realizadas visitas teatralizadas noturnas. Em Málaga fica o cemitério Inglês, ou de San Jorge, o cemitério protestante mais antigo da Espanha. Criado em 1831, junto às exóticas espécies de seu jardim podem ser vistos monumentos funerários e túmulos de inspiração clássica, neogótica e modernista.