Travel Safe

Conselhos para viajar com segurança Últimas notícias
Caminhada em Tenerife

Alguns dos melhores roteiros para fazer caminhada nas Ilhas Canárias #SpainNature

Canárias

Adentrar-se nestas ilhas de origem vulcânica supõe ver desde frondosos bosques de laurisilva até praias de areia preta, antigas crateras, falésias, mares de nuvens ou o pico mais alto da Espanha. Por tudo isso, queremos mostrar uma pequena representação das melhores trilhas das Canárias. Trata-se de alguns dos caminhos mais bonitos da Espanha e muitos deles levam aos seus picos mais altos. Botas preparadas?

Garajonay, uma “selva” de conto

O primeiro dos roteiros que lhe propomos está na ilha de La Gomera. Adentre-se no Parque Nacional de Garajonay, um lugar muito especial porque seu bosque é de laurisilva, um conjunto de espécies vegetais que se extinguiram da maior parte do planeta há milhões de anos. Quando você caminhar por ali, será como ter viajado à Era Terciária. Você vai pensar que está em um sonho, já que as árvores estão cobertas de musgo pela umidade e o fenômeno da chuva horizontal (nuvens baixas em contato com os bosques que fazem com que se encharquem). Seu nome se deve a uma triste lenda: os amantes Gara e Jonay - quando sua família não aceitou sua história de amor - decidiram se matar enfiando uma lança afiada em ambas as pontas e fundindo-se em um abraço. O próprio parque organiza roteiros guiados que você pode reservar. Se você prefere ir por sua conta, há 18 caminhos perfeitamente sinalizados, sendo o mais completo este de 12,7 quilômetros que você pode realizar em umas 06:30 horas. Você receberá toda a informação no Centro de Visitantes. Além disso, aqui você encontrará um mapa do parque, aplicativos móveis e um audioguia.

Caminhada no Bosque do Cedro. Parque Nacional de Garajonay, La Gomera

Caminho de Jinama: no centro de uma ilha 100% renovável

Vamos agora até a pequena ilha de El Hierro, a primeira do mundo completamente autossuficiente e 100% renovável. Você sabia que tem mais quilômetros de trilhas do que de estradas? Se temos de recomendar uma trilha, apesar de sua dificuldade, ficamos com o Caminho de Jinama, no centro da ilha. O desafio? Um desnível de cerca de 815 metros ao redor de 3,5 quilômetros. Trata-se de um caminho legendário porque por ele se realizavam antigamente as “mudadas”, quando os habitantes da parte mais alta desciam ao vale para trocar de residência no inverno procurando o melhor clima para o gado. Muitos visitantes, devido ao esforço que exige, optam por fazer somente o caminho de descida. Em qualquer caso, você caminhará pelo que foi a cratera de um grande vulcão e na parte de cima, na Ermida da Caridade, você terá umas incríveis vistas difíceis de esquecer.No entanto, o ponto mais alto desta ilha não é este, mas sim o pico de Malpaso, com uns 1.500 metros e ponto médio da trilha GR-131. Outra região emblemática? A do sabinar e suas famosas árvores retorcidas pelos ventos alísios.

Mirante Jinama, El Hierro

Mar de nuvens desde o Roque de los Muchachos

Se você quer ver uma caldeira vulcânica de 1.500 metros de profundidade, a ilha de La Palma é seu lugar. Parte da trilha GR-131 percorre toda a borda da caldeira. E, em particular, recomendamos que você vá até o mirante do Roque de los Muchachos, com vista para o Parque Nacional da Caldera de Taburiente, onde podemos lhe dizer que as vistas são incomparáveis e que poderá contemplar o fenômeno do mar de nuvens que se perde no horizonte e sob seus pés. Aqui você encontrará todos os itinerários que pode fazer pelo parque.Além de praticar caminhada, nesta região você pode reservar uma curiosa visita. Os céus de La Palma estão entre os melhores do planeta para observar as estrelas, motivo pelo qual aqui está situado o Observatório do Roque de los Muchachos, um centro de pesquisa científica que conta com alguns dos telescópios mais importantes do mundo como o Grande Telescópio Canárias.

Mirante Cumbrecita. Parque Nacional da Caldera de Taburiente, La Palma

Até o topo da Espanha

Você viaja à ilha de Tenerife? Ali poderá visitar o Parque Nacional do Teide, o pico mais alto da Espanha - com 3.718 metros - e o terceiro vulcão mais alto do mundo. Soa bem, não é mesmo? Uma das melhores experiências do parque é subir no teleférico que leva você até os 3.555 metros de altitude. Mas os caminhantes mais aventureiros podem chegar um pouco mais acima... Isso sim, para alcançar o pico do Teide caminhando é obrigatório obter uma autorização prévia (se você passar a noite no Refúgio de Altavista, a 3.250 metros de altura, pode acessar o Pico sem permissão, ainda que com a condição de abandonar a trilha antes das nove da manhã).Uma vez tenha a autorização, poderá acessar a trilha Telesforo Bravo (em homenagem ao pesquisador que ajudou a descobrir os segredos da região). Tenha em mente que se trata de um terreno de alta montanha e que terá de superar um desnível de cerca de 170 metros após um percurso de uns 650 metros. Isso sim, uma vez lá em cima, além de ter uma panorâmica de todo o parque, se o tempo estiver bom você poderá até mesmo ver todas as outras ilhas Canárias. Você se sentirá o rei do mundo! Aliás, você sabia que a sombra do Teide é a maior sombra do planeta projetada sobre o mar? Você pode vê-la tanto ao entardecer como ao amanhecer.

Céu noturno no Teide, Tenerife

Cavernas secretas à beira-mar

Agora vamos até Fuerteventura, a ilha canária com maior extensão de praias. Algumas tão especiais como a de Los Molinos. E o que há de especial nesta praia? Que somente quando a maré está baixa você pode ver a caverna Herminia, entre outras, e pode caminhar por ali. Isso sim, sempre com precaução.Mas, além de praias, Fuerteventura tem também mais de 255 quilômetros de trilhas. Por onde deveria começar? Uma das mais recomendadas é a SL-FV 27, no barranco de Las Peñitas, que pertence ao Parque Rural de Betancuria. Você percorrerá o leito do rio Palmas e verá as famosas palmeiras tamareiras canárias, a Ermida da Virgen de la Peña (aqui estão os materiais geológicos mais antigos de toda Canárias!) e a represa e a barragem de Las Peñitas. Aqui você encontrará um mapa detalhado deste caminho de 1,7 quilômetros e de pouca dificuldade. Outra recomendação? A trilha de Lobos na Ilhota de Lobos, à qual somente se pode chegar em barco do porto de Corralejo, ao norte de Fuerteventura.

Parque Natural Ilhota de Lobos, Fuerteventura

Uma janela de pedra

É a vez da ilha de Grã Canária, onde você poderá ver de perto o Roque Nublo, uma rocha natural de origem vulcânica que se eleva 80 metros sobre sua base e 1.813 metros sobre o nível do mar, tornando-a uma das maiores do mundo. Sua simbologia é tal que foi um antigo lugar de culto para os aborígenes e inspirou pintores, escritores e músicos. Existe um caminho circular de trekking que em umas duas horas e meia lhe permitirá conhecer estas paisagens e contemplar o que na realidade são os restos da antiga chaminé de um grande vulcão. Você sabia que toda a região do Risco Caído e os Espaços Sagrados da Montanha de Grã Canária foi declarada Patrimônio Mundial pela UNESCO?

Um dos lugares mais curiosos e bonitos para ver o Roque Nublo de longe é na conhecida como a “janela do Nublo”, um arco de pedra pelo qual, como se de verdade fosse uma janela, você pode contemplar a grande rocha. Para chegar até ela, existe um caminho fácil que sai da área recreativa de Los Llanos de la Pez (nesta área você também pode fazer a Via da Prata por uma antiga via pecuária). Outro truque? Se você se alojar no Parador Cruz de Tejeda, pode ter uma vista do roque de seu próprio quarto.

Um passeio por Marte

Isso é o que você vai sentir ao caminhar pelas paisagens da ilha de Lanzarote devido às suas rochas, às silhuetas dos vulcões, ao contraste de cores, ao silêncio... Provavelmente a região natural mais surpreendente e famosa da ilha é a do Parque Nacional de Timanfaya, que é o resultado das erupções vulcânicas sucedidas entre 1720 e 1736 e em 1824. Para conhecê-lo existem diferentes roteiros e atividades guiadas muito interessantes.Você também pode experimentar a trilha que corre entre correntes de lava até a Caldera Blanca no centro da ilha, um enorme cone vulcânico digno de ser admirado. São 1.200 metros de diâmetro por onde há séculos saiu a lava! É um caminho de trekking que começa na Igreja de los Dolores. São 10 quilômetros sem grande desnível aptos para todos os públicos. Descubra toda a informação sobre estas trilhas e outras muitas das Canárias aqui. 

Parque Natural dos Vulcões, em Lanzarote